Nem tudo vai dar certo ao longo da sua vida. Se você tem mais de 20 anos com certeza já se lascou em alguma tentativa de emprego, namoro, ou em pedir emprestado o carro do seu irmão ou pai.

Não se dar bem nem sempre é o fim do mundo. Sem querer agir aqui com o ‘jogo do contente’ nem agir num otimismo fora do comum do Pequeno Príncipe, perder faz parte da vida e nos mostra os caminhos das pedras do nosso caráter.

A forma como eu vou reagir em relação as derrotas, mostra bem como estou ou não, preparado para os embates que virão. Não é sempre que tudo que você faz dará certo, não é legal acertar sempre. Não gera conteúdo, suor, lágrimas e caráter. É debaixo de pauladas que vamos aumentado a nossa capacidade de superação. Sabe é tipo o roteiro dos filmes do Rocky Balboa (Sylvester Stallone) apanha, apanha e apanha mais um pouco depois vence. Tá, não é tão romântico assim, eu sei, eu sei. Mas no fundo você terá que concordar que a última grande perda da sua vida você vem superando aos poucos ou já em definitivo e isto te fez uma pessoa melhor, ou pelo menos, alguém com história para contar.

Vale a pena viver a vida e com todas as desgraças que ela pode trazer junta no combo. A cada tropeço, a cada traição e a cada choro, um pouco de você cresce e aparece. Superação não é uma palavra que é dita antes da luta, ou seja, ela só  tem sentido em seu propósito  depois que você se ferra por completo.

Superar não é evitar, é passar por tudo e manter-se vivo. Mesmo que perdendo.